terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

«Tiro liro liro»


Ao ler certas obras de Aquilino Ribeiro, por exemplo Cinco Réis de Gente, regressamos instintivamente aos tempos da nossa infãncia, em que cantávamos coisas como estas.
É bom recordar, mesmo que ainda agora não entendamos que palavras eram estas.
Era a magia dos sons, palavras que eram só nossas, dos miúdos que, como nós, viviam num mundo habitado por seres fantásticos


Tiro liro liro


 Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!
Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!

Juntaram-se os dois à esquina
A tocar a concertina, a dançar do solidó!
Juntaram-se os dois à esquina
A tocar a concertina, a dançar do solidó!


Comadre, minha comadre,
Ai eu gosto da sua pequena!
Comadre, minha comadre,
Ai eu gosto da sua pequena!

É bonita, apresenta-se bem,
Parece que tem a face morena!
É bonita, apresenta-se bem,
Parece que tem a face morena!


Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!
Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!


Juntaram-se os dois à esquina,
A tocar a concertina, a dançar do solidó!
Juntaram-se os dois à esquina,
A tocar a concertina, a dançar do solidó!

Comadre, ai minha comadre,
Ai eu gosto da sua afilhada!
Comadre, ai minha comadre,
Ai eu gosto da sua afilhada!


É bonita, apresenta-se bem,
Parece que tem a face rosada!
É bonita, apresenta-se bem,
Parece que tem a face rosada!

Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!
Lá em cima está o tiro-liro-liro,
Cá embaixo está o tiro-liro-ló!

Juntaram-se os dois à esquina,
A tocar a concertina, a dançar do solidó!


 Picos da Europa

Sem comentários:

Enviar um comentário